Centro de Check-UP cardiovascular

(41) 3342-6000

(41) 99229-2299

Agende sua consulta!

Dicas de
Saúde

Dicas de saúde para diabéticos, hipertensos e cardíacos

Dicas especiais para diabéticos, hipertensos e cardíacos

Com as festas de Natal e Réveillon é preciso estar alerta para alguns cuidados com a saúde. Por ser uma época em que as pessoas não costumam acompanhar adequadamente suas refeições, a ingestão de sais, gorduras e açúcares tende a aumentar. Essa situação representa perigo para a saúde e pode auxiliar no desencadeamento de doenças como as cardiopatias.

Se você apresenta problemas cardíacos, de hipertensão ou possui diabetes, confira estas dicas:

Hipertensos

Se você tem problemas de hipertensão, controlados ou não, deve fugir dos salgados e frituras. Durante as ceias e confraternizações, muitos pacientes acabam precisando de ajuda médica, com crises de pressão alta devido aos excessos alimentares. O efeito ruim do sal é rápido e piora com a ingestão de bebidas alcoólicas.

Diabéticos

Os diabéticos e mesmo os chamados de pré-diabéticos devem manter alguma atividade física leve ou moderada e ter atenção rigorosa em relação aos doces e alimentos açucarados. Os níveis de glicose no sangue podem “explodir” caso consumam açúcar visível ou invisível. Uma boa sugestão é pedir aos familiares que preparem doces e sobremesas sem açúcar, usando os adoçantes existentes (por exemplo, a sucralose pode ser aquecida e tem ótimo sabor).

Cardíacos

Os que têm problemas cardíacos têm que evitar o sal, pelo risco de edema e falta de ar. Não podem esquecer as medicações, mesmo que isso já tenha acontecido algum dia. Diante das dúvidas sobre que alimentos podem consumir, fale com seu médico sempre que for necessário.

Equilíbrio e moderação farão só trazem benefícios, inclusive para aproveitar melhor as confraternizações de fim de ano ao lado de amigos e familiares.

continue lendo

Fonte: https://goo.gl/95rq9u

Médicos criticam a utilização de anticoncepcionais para perda de peso e alertam para os riscos

Quem é fã do UFC deve lembrar que a lutadora Cris Cyborg declarou, em setembro passado, que havia recorrido ao uso da pílula anticoncepcional para perder peso. Ela precisava emagrecer cerca de 11kg para bater o peso de 63,5kg e competir no UFC Brasília.

A atleta disse, na época, que o uso havia sido indicado pelo nutricionista. A decisão foi criticada por especialistas, que não veem relação entre o método contraceptivo e o emagrecimento.

Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), não há nenhuma evidência científica comprovando que o anticoncepcional ajude a emagrecer. E, dependendo da dose, a mulher pode reter líquidos e até ganhar peso.

As pílulas anticoncepcionais também aumentam o risco de desenvolver trombose, principalmente entre mulheres com obesidade, que têm histórico familiar da doença, fumam e/ou sofrem de enxaqueca. O fato é que os contraceptivos orais afetam o sistema circulatório da mulher, aumentando a dilatação dos vasos e a viscosidade do sangue. Como resultado, é possível que se formem coágulos nas veias profundas, localizadas no interior dos músculos. É mais comum que isso ocorra nas pernas, mas é também possível que o problema surja nos pulmões e até no cérebro, onde pode haver um acidente vascular cerebral (AVC).

O alerta, neste blog, é a preocupação dos médicos de que a declaração da lutadora encoraje mulheres obesas a seguirem a recomendação, acreditando que funcionaria. A melhor maneira de entrar em forma ainda são os bons hábitos alimentares e a prática constante de atividades físicas.

O alerta, neste blog, é a preocupação dos médicos de que a declaração da lutadora encoraje mulheres obesas a seguirem a recomendação, acreditando que funcionaria. A melhor maneira de entrar em forma ainda são os bons hábitos alimentares e a prática constante de atividades físicas.

continue lendo

Fontes:

Jornal Extra

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM)

Foto: Portal Vale Tudo

Angio Cor na campanha contra o câncer de próstata

A campanha Novembro Azul conscientiza sobre prevenção e riscos da doença

O câncer de próstata atinge grande parte da população masculina e, mesmo assim, ainda é um tema que enfrenta muitas barreiras. De acordo com INCA, mais de 61 mil casos surgiram em 2016*, sendo o tipo de câncer que mais leva os homens ao óbito.

Além de levar informação, o Novembro Azul visa acabar com o preconceito acerca da prevenção, diagnóstico e cura da doença que hoje aflige cerca de 1 a cada 6 homens. É sabido que o envelhecimento da população é um dos fatores que contribuem para a incidência da doença no país, porém o tabu em relação aos exames ainda atrasa muitos diagnósticos, que são fundamentais para um tratamento de sucesso.

A Angio Cor disponibiliza a especialidade de Urologia, sob o comando do Dr. Jair de Campos, que respondeu algumas das principais dúvidas acerca do câncer de próstata. Confira abaixo e marque já sua consulta preventiva:

Como são os sintomas do câncer de próstata quando surge no homem?

Dr. Jair de Campos:

“O câncer de próstata é uma doença perigosa também por ser assintomática. O paciente geralmente não apresenta sintomas, ou, quando eles existem, geralmente são relacionados a outras doenças da próstata, e não necessariamente ao câncer. Dificuldades ou dor ao urinar, dores na virilha ou região pélvica, podem ser sinal de Prostatites (infecções na próstata) ou mesmo Hiperplasia Prostática Benigna (crescimento natural da próstata). Portanto, o exame periódico de prevenção é de suma importância para o diagnóstico precoce da doença.”

É verdade que existe uma relação entre tabagismo, consumo de álcool e o sedentarismo com o câncer de próstata?

Dr. Jair de Campos:

“A própria idade avançada está entre os fatores de risco, assim como o histórico familiar da doença, fatores hormonais e ambientais. E sim, fatores como maus hábitos alimentares, consumo alto de gordura animal, sedentarismo e excesso de peso contribuem para o aparecimento de diversas doenças, entre elas, o câncer de próstata. O ideal é que adotemos uma dieta equilibrada somada à prática de exercícios. Isso beneficia o corpo todo, fortalece a imunidade e ajuda na prevenção da doença.”

Ainda existe muito tabu em relação ao exame? Ele machuca o homem? Qual seu nível de eficácia?

Dr. Jair de Campos:

“Os tabus vem sendo vencidos, mas ainda persistem, sim. Isso acaba retardando a consulta e atrapalha na hora em que o câncer de próstata e outras doenças sejam detectados com antecedência. Os homens precisam saber que o exame é muito simples e rápido, feito na própria clínica.”

“O exame de sangue PSA somado ao exame de toque é o método mais seguro de rastreamento da doença. Incorporar o exame à rotina de saúde do homem garante mais tranquilidade e controle sobre sua vida. Os benefícios de uma consulta preventiva superam, e muito, o pequeno desconforto que os exames podem causar, sem dúvidas.”

A partir de que idade o homem deve incluir o exame na sua rotina de saúde?

Dr. Jair de Campos:

“Caso já existam casos de câncer na família, entre pai, irmão ou tio, a prevenção deve começar a partir dos 45 anos. O mesmo vale para os homens negros, que são mais suscetíveis à doença. Já para quem possui uma dieta equilibrada, está com o peso proporcional à altura e não possui histórico familiar da doença, a prevenção pode começar aos 50 anos. É importante frisar que o check up deve fazer parte do cotidiano masculino tanto quanto faz de uma criança ou das mulheres, e também porque com o avanço da idade é normal que surjam algumas doenças.”

Quais as chances de recuperação se o câncer for diagnosticado no início?

Dr. Jair de Campos:

“São altas, se detectada cedo, a doença possui cerca de 90% de chances de cura. Na detecção do câncer de próstata, o paciente pode ser tratado por meio de radioterapias, cirurgia ou mesmo bloqueio hormonal, varia muito de paciente para paciente e também depende do estágio da doença. O tratamento é sempre individualizado e, se diagnosticado e tratado no início, o câncer de próstata tem os riscos de mortalidade bastante reduzidos.”

A maior riqueza que podemos ter ainda é a saúde.

continue lendo

Entre em contato e agende sua consulta: (41) 3342-6000 / 9229-2299

Insuficiência cardíaca é mais comum do que você imagina. Conheça as principais causas

Saiba o que é a insuficiência cardíaca, os fatores de risco e como se dá o tratamento

No Brasil, a insuficiência cardíaca é frequente. E em um nível preocupante: por ano, são mais de 2 milhões de casos que atingem pessoas principalmente acima de 40 anos. A doença caracteriza-se pela incapacidade do coração bombear o sangue para as demais regiões do corpo – gerando a falta de suprimento das necessidades da circulação e redução da oxigenação dos tecidos. Como consequência, vêm as falhas em diversos processos do organismo – e aparecem a falta de ar, a dor no peito, a fadiga, a tontura, a incapacidade de praticar exercícios físicos, o inchaço nas pernas, a tosse com catarro, o ritmo cardíaco anormal e outros sintomas. E, como o sangue não consegue atingir determinadas partes, acaba retornando no caminho e acumulando-se em órgãos como pulmão, fígado, intestino... até nos braços e nas pernas – causando intensa retenção de líquidos.

Ela é considerada uma doença crônica, mas que pode se desenvolver repentinamente. Aqui no Brasil, a principal causa da insuficiência cardíaca é a doença arterial coronariana (DAC), que é o estreitamento dos vasos responsáveis pela leva de oxigênio ao músculo cardíaco. Porém, existem mais alguns fatores que podem aumentar seu risco.

Fatores de risco

1. Ataques cardíacos e enfartes prévios do miocárdio

2. Pressão alta

3. Batimentos cardíacos irregulares

4. Doenças no músculo cardíaco ou inflamação no coração

5. Cardiopatias congênitas

6. Abuso de álcool/drogas

7. Diabetes

8. Infecções por vírus

9. Anemia

10. Doenças Renais

O diagnóstico é feito através da realização de uma série de exames, que vão da ausculta cardíaca, na qual se busca a presença de sopros, à ausculta pulmonar, na qual se procuram chiados; além do edema pulmonar. Podem, também, incluir a radiografia de tórax e a ecocardiografia como exames complementares.

Tratamento

A insuficiência cardíaca pode ser tratada com a redução do sal nos alimentos, corte de gorduras e frituras, limitação da ingestão de líquidos, uso de medicamentos que retardam a frequência cardíaca e que relaxam os vasos sanguíneos, diuréticos, anti-hipertensivos e também suplementos alimentares. Também pode surgir a possibilidade de tratamentos cirúrgicos, como a ponte aorto-coronária, que restaura o fluxo sanguíneo para o coração usando uma artéria ou veia saudável ao invés da artéria bloqueada – e o implante de enxertos de veia safena ou artérias mamárias. Em estágios avançados da doença, o transplante cardíaco pode se tornar a única opção viável.

Em geral, o tratamento varia de acordo com o histórico clínico do paciente. E se os desencadeadores forem devidamente tratados, a insuficiência pode melhorar. A solução é sempre estar um passo a frente na prevenção da doença, para que o tratamento se torne mais fácil e de menor duração.

A AngioCor oferece serviços especializados de cardiologia para prevenir, tratar e ajudar os pacientes que apresentem indícios da doença. O tratamento AngioCor é personalizado – cuida de cada um com carinho e atenção, levando em consideração seu histórico de saúde.

continue lendo

Diabetes: o que é e como tratar

A diabetes é uma doença que pode atingir a todas as faixas etárias através de três classificações possíveis: diabetes tipo 1, tipo 2 e gestacional. Para entender sobre as três classes, é necessário conhecer a situação: a diabetes é a falta ou deficiência da insulina no corpo – e sua consequência, ou causa, é a elevação de glicose no sangue. Esse aumento é chamado de hiperglicemia, e, com ela, começam a surgir os problemas.

Na diabetes tipo 1, o corpo, equivocadamente, começa a produzir anticorpos que destroem as células produtoras de insulina, que residem no pâncreas. Em curto prazo, os pacientes (crianças e jovens, em sua maioria) começam a sentir sede e fome excessiva, fraqueza, cansaço e também podem notar emagrecimento.

Na diabetes tipo 2, a mais famosa entre as três classes, o pâncreas não consegue produzir insulina suficiente para controlar a alta taxa de glicose no sangue – o que, lentamente, aparece com o aumento da sede, diurese em excesso, dores nas pernas, alterações visuais e outros sintomas. Os pacientes deste tipo se encontram em todas as faixas etárias, já que o requisito essencial é o aumento de consumo de carboidratos e gorduras sem a prática de exercícios físicos* – resultando, afinal, no aumento de peso.

*Já quer se prevenir? Nada melhor que dar início a uma vida mais saudável com atividades físicas. Para saber como começar, acesse o nosso post sobre cuidados preventivos ao iniciar os exercícios.

A diabetes gestacional é decorrência da instabilidade hormonal sofrida pelo corpo no período de gestação. A placenta torna-se fonte de alguns hormônios que inibem a produção de insulina – levando a elevação da glicose no sangue. Em geral, não há sintomas aparentes; o que enfatiza a necessidade das consultas frequentes ao médico para avaliação da paciente.

Para o tratamento e também para a prevenção da doença, existem alguns alimentos que devem ser evitados. Confira a lista:

Açúcar

Frituras

Bebidas alcoólicas

Doces (principalmente chocolate)

Mel

Massas

Refrigerantes

Sorvetes cremosos

Pele de aves

Embutidos (salsicha, linguiça, salame...)

Condimentos (catchup, shoyu...)

Carnes gordurosas

Industrializados (enlatados, caldo de carne, sopas de pacote...)

Algumas frutas (abacate, caqui, uva, figo, manga e jaca)

O diagnóstico da diabetes é feito através de três exames: glicemia em jejum, hemoglobina glicada e curva glicêmica. Para o tratamento da disfunção, a Angio Cor aconselha primeiramente a buscar consulta médica. As formas de tratamento receitadas normalmente se baseiam na mudança para hábitos mais saudáveis (exercícios físicos e controle da dieta), uso de medicação oral e controle da glicemia através da aplicação de insulina.

continue lendo

Setembro Vermelho: mês de conscientização das doenças do coração

Doenças cardiovasculares, prevenção e tratamento

Existem alguns meses que se tornaram representativos em campanhas de conscientização sobre a prevenção e tratamento de algumas doenças. Assim como existe o outubro rosa para o câncer de mama e o novembro azul para o câncer de próstata, existe o setembro vermelho, que tem como objetivo conscientizar sobre as doenças do coração.

As doenças cardiovasculares são uma das maiores causas de morte no mundo. Segundo dados do Instituto Lado a Lado pela Vida, cerca de 17,5 milhões de pessoas morrem por ano por conta desse tipo de problema. O mês de setembro foi o escolhido para promover uma campanha com o objetivo de alertar a população sobre a importância de ter hábitos mais saudáveis e sempre fazer check-up para prevenir esses tipos de doenças. Algumas bastante comuns são insuficiência cardíaca, infarto, hipertensão e taquicardia.

Prevenção:

Existem alguns hábitos que podem ajudar a prevenir doenças cardiovasculares, são eles: prestar atenção no histórico familiar, não fumar, ter uma dieta balanceada com menos açúcar, sal e gorduras ruins, praticar exercícios regularmente, consultar o cardiologista com frequência e evitar o stress. Além disso, no caso das mulheres, a menopausa também pode ter ligação com as doenças do coração.

Tratamento:

Ao fazer o checkup, o cardiologista pode diagnosticar uma doença e com a avaliação precoce as chances do tratamento dar certo são muito maiores. Alguns exames são comuns para identificar doenças cardíacas como eletrocardiograma, teste ergométrico, ecocardiograma e holter. É importante ressaltar que o paciente nunca deve se automedicar e deve seguir à risca todas as orientações dadas pelo médico.

continue lendo

O que é trombose, e como evitá-la ?

A Trombose Venosa Profunda é causada pela formação de um coágulo sanguíneo em uma ou mais veias dos membros inferiores, geralmente pernas e coxas. Esse coágulo causa o inchaço e bastante dor na região afetada e caso haja formação de embolia e a mesma ficar presa em alguma parte do corpo, graves lesões podem ocorrer.

Cerca de 50% dos casos não apresentam nenhum tipo de sintoma no paciente, mas em alguns deles podem apresentar dor e inchaço nas pernas, sensação de queimação e mudança de cor da pele para um tom avermelhado ou azulado. As medidas de prevenção são bastante simples e incluem visitas periódicas ao médico, prática regular de exercícios físicos, evitar permanecer muito tempo sentado sem movimentar as pernas e evitar o sobrepeso, fumo, estresse e alimentos com gordura animal.

Caso o paciente apresente algum dos sintomas citados acima, é preciso procurar um médico que irá indicar o tratamento mais adequando. Eles podem variar de acordo com o grau da trombose e incluem o uso de medicamentos, inserção de filtros em uma das veias do abdômen para impedir a locomoção dos coágulos para os pulmões ou o uso de meias de compressão.

Outro problema que também pode ser causado pela trombose é a síndrome pós-flebítica, quando ocorre a formação de um edema na região afetada, aparecimento de varizes, eczema e úlceras venosas.

É importante seguir as orientações médicas e fazer consultas constantes a um angiologista. A Angio Cor possui uma equipe de especialistas na área de angiologia para exames e indicações de tratamentos.

continue lendo

Doenças cardiovasculares

A cada 2 minutos, um óbito acontece por algo relacionado ao coração.

Um boletim divulgado pela OMS mostrou que as doenças cardiovasculares são as que mais causam mortes no mundo. No Brasil, a cada 2 minutos, um óbito acontece por algo relacionado ao coração. Em grande maioria, eles ocorrem pela falta de exames preventivos que poderiam diagnosticar esse tipo de doença ainda no estágio inicial, facilitando o tratamento. Confira algumas das doenças que mais levam brasileiros a óbito:

Infarto agudo do miocárdio:

Esse tipo de patologia ocorre devido a à obstrução da artéria coronária e causa a interrupção da passagem de sangue para o coração, matando as células cardíacas. Ele pode ocorrer por diversos fatores, entre eles: hipertensão, diabetes, colesterol alto, excesso de peso, entre outros. Os sintomas mais comuns são dor no peito, falta de ar, mal estar e tonturas. Para se prevenir é preciso praticar alguma atividade física regularmente e manter uma boa alimentação.

Morte Súbita:

Ocorre de forma inesperada, sem chances de socorro em pessoas doentes ou sadias. É bastante comum em bebês nos três primeiros meses e pode estar relacionada à hereditariedade. Em jovens, adultos e idosos, geralmente ocorre em decorrência de doenças do coração. Grande parte das pessoas vão a óbito na parte da manhã.

Acidente Vascular Cerebral:

Conhecido popularmente como AVC, ocorre quando os vasos que levam sangue ao cérebro entopem ou se rompem, causando a paralisia cerebral. Uma de suas principais características é a diminuição ou perda da força e alteração na sensibilidade no rosto, braço ou pernas. Alguns pacientes tendem a ter uma alteração na fala, além de perda de visão. Esse tipo de patologia pode estar associada a fatores genéticos, mas há fatores que podem ser diagnosticados e evitados como hipertensão, diabetes e obesidade.

Doença vascular periférica:

Causada por aterosclerose, quando depósitos de gordura se acumulam nas paredes arteriais prejudicando o fluxo de sangue, evitando que o mesmo chegue aos membros inferiores. Os sintomas são bastante diferentes de qualquer outra doença cardiovascular e podem ser: mudança na cor das pernas, perda de cabelo, feridas que demoram a cicatrizar e dormência nos membros inferiores. Para prevenir esse tipo de doença é preciso manter um estilo de vida sempre saudável.

continue lendo

Além de bons hábitos, é preciso estar com os exames cardíacos sempre em dia. A Angio Cor dispõe de equipe preparada para check-ups completos.

Inflamação nos vasos sanguíneos

Inflamação nos vasos sanguíneos pode levar pacientes a óbito

Sudorese, febre e fraqueza podem ser mais sérios do que você imagina.

Vasculite é um grupo de doenças que causam inflamações nos vasos sanguíneos. A maior consequência dessa doença é que as paredes dos vasos se tornam mais grossas e atraem células do sistema de defesa do organismo. Isso acaba provocando um estreitamento nas paredes que dificulta ou interrompe a passagem de sangue, podendo levar a pessoa a óbito.

É preciso ficar atento pois os sintomas da doença variam de acordo com os vasos comprometidos pela inflamação ou órgãos afetados. Em fases iniciais eles podem causar mal-estar, febre, sudorese, fraqueza, cansaço e perda de apetite. Quando a doença evolui de estágio é comum o paciente se queixar de dor abdominal e nas articulações, mudança na cor da urina ou urina com sangue, trombose, perda de sensibilidade em algumas áreas inflamadas e aparecimento de manchas vermelhas na pele.

Se a pessoa apresentar esse conjunto de sintomas é importante consultar um angiologista com urgência pois o diagnóstico da evolução da doença será essencial para orientar o tratamento mais adequado. Em alguns casos, a inflamação desaparece de forma espontânea, mas em outros a pessoa aparenta não ter mais nada e os sintomas acabam ressurgindo com o tempo. Em grande parte dos casos a inflamação se resolve com medicamentos esteroides. Mas em casos mais graves é preciso que o paciente faça uso de drogas imunossupressoras.

Para evitar o surgimento inesperado desse tipo de inflamação é sempre importante estar com os exames em dia e caso sinta qualquer sintoma procure um médico imediatamente, evitando a automedicação.

continue lendo

Programa Angio Cor Previne

Vantagens do programa Angio Cor Previne

Médicos afirmam que o diagnóstico de doenças ainda em seu início faz com que as chances de cura sejam maiores. As doenças cardiovasculares, por exemplo, são assintomáticas, ou seja, seus sintomas só aparecem em estágios mais avançados, o que com a falta de exames dificultaria o tratamento.

É sempre importante se prevenir e fazer um check up anual com exames periódicos para diagnósticos precoces e com isso evitar o aparecimento de doenças. Pensando na prevenção, a Angio Cor lançou o programa Angio Cor Previne, que tem como objetivo trazer comodidade e praticidade para seus clientes na hora de realizar os exames.

Através desse programa é possível fazer todos os exames preventivos em um único ambiente, com os mesmos profissionais. Com isso, os resultados saem mais rápido e o tratamento de doenças diagnosticadas podem começar antes do esperado.

O programa é baseado nas três especialidades básicas da clínica: Cardiologia, Endocrinologia e Angiologia/Cirurgia Vascular. Mas também é oferecido suporte em suas demais especialidades como Urologia, Dermatologia, Ginecologia, Gastroenterologia e Nutrição. Assim seu check up fica ainda mais completo e sua saúde em dia.

Além de exames, o aparecimento de doenças também pode ser evitado com uma alimentação balanceada, hidratação constante e prática constante de exercícios físicos.

continue lendo

Doenças cardiovasculares e o inverno

Risco de morte por doenças cardiovasculares são maiores no inverno

Uma pesquisa realizada pela American Heart Association revelou que o índice de mortes por doenças cardiovasculares é 25% maior no inverno do que em outras épocas do ano. Um dos principais motivos para que isso ocorra é o aumento das infecções respiratórias durante esse período. Casos de gripe e resfriados podem provocar uma sobrecarga no sistema circulatório.

No inverno, as paredes das artérias tendem a diminuir e isso pode causar piora em pacientes com problemas cardíacos, o que os leva a internações e em muitos casos a óbito.

Outro fenômeno bastante comum no frio é o Fenômeno de Raynaud, provocado pela falta de oxigenação em extremidades, gerando uma coloração azulada na pele, formigamento e amortecimento dos dedos. Isso pode desenvolver uma sobrecarga no sistema cardiovascular para tentar manter a temperatura do corpo. Esse tipo de problema é bastante comum em mulheres jovens e para se proteger é preciso proteger essas extremidades com luvas, toucas e meias grossas.

Além disso, durante os dias mais frios, as pessoas tendem a comer alimentos mais pesados e aumentar a ingestão de bebidas alcoólicas, o que pode aumentar o risco de arritmias ou infarto. Em idosos esses riscos são maiores para aqueles com sintomas de angina de peito, aumento de tensão arterial e risco de acidente cardiovascular.

Para evitar esses problemas, os cardiologistas recomendam a constante hidratação, manter-se sempre aquecido e a ingestão de frutas e verduras da estação. Além do check up preventivo, que deve ser feito todo ano com algum especialista.

continue lendo

3 tratamentos para acabar com as varizes

3 tratamentos para acabar com as varizes

3 tratamentos para acabar com as varizes

Confira alguns desses tratamentos:

ESCLEROTERAPIA:

São injeções aplicadas através de agulhas bem finas que penetram na camada superficial da pele. São feitas nos próprios consultórios médicos e têm a função de secar os vasos indesejados. O processo possui pouquíssimos efeitos colaterais e para bons resultados são necessárias em média, de uma a quatro sessões, podendo variar de paciente para paciente.

LASER:

Esse tipo de tratamento é indicado para casos menos graves de varizes, como as microvarizes. São indicadas de três a cinco sessões para obter melhoras. O tratamento é praticamente indolor e após o procedimento o paciente já pode voltar às suas atividades normais. Porém, esse tipo de tratamento não é indicado para pessoas com pele escura, pois pode haver pigmentação de coloração mais clara.

CIRURGIA:

De todos, a cirurgia é o tratamento mais eficaz, ideal para quem possui varizes maiores. Apesar do nome assustar um pouco, o procedimento não é nem um pouco agressivo, não deixando marcas ou cicatrizes na pele. É feito com anestesia que pode variar entre local ou peridual, com ou sem sedação, dependendo da quantidade de veias. É necessário ficar internado, porém por um curto período e a recuperação é rápida. Nesses casos é indicado o uso da meia elástica.

continue lendo

É importante ressaltar que as varizes são um problema crônico. Quando tratadas elas não voltam, porém novas veias podem aparecer. Elas não tem cura, mas sim, controle. Conheça mais sobre esses tratamentos na Angio Cor.

Metade dos infartos são ‘silenciosos’

Metade dos infartos são ‘silenciosos’. Não espere ele se expressar!

Segundo uma pesquisa da Associação Americana do Coração, quase a metade dos infartos nos Estados Unidos acontecem sem a manifestação de sintomas prévios, como dores no peito, falta de ar, fadiga e náuseas. Esse fato deixa as vítimas mais expostas às complicações pós-infarto pois não estão preparadas para tal incidente.

As consequências de um ataque cardíaco silencioso são tão ruins quanto as de um ataque cardíaco reconhecido. Mas como os pacientes não sabem que sofreram um ataque cardíaco silencioso, eles podem não receber o tratamento necessário para prevenir outro no futuro. – afirma Elsayed Soliman, diretor de cardiologia do Centro Médico batista de Wake Forest, nos Estados Unidos.

Na pesquisa, os cientistas analisaram dados de quase 10 mil americanos inscritos em um estudo para avaliar as causas e consequências da aterosclerose. De lá para cá, esses voluntários, de ambos os sexos e tanto caucasianos quanto afrodescendentes, passaram por cinco avaliações médicas em que foram submetidos a exames de eletrocardiograma (ECG).

Das pessoas analisadas no estudo, 386 tiveram infartos sintomáticos no período da pesquisa, enquanto 317 sofreram ataques cardíacos silenciosos que só foram diagnosticados graças ao exame de ECG, ou seja, 45% do total de episódios. Além disso, pelos cálculos dos pesquisadores, as vítimas desses infartos silenciosos apresentaram uma chance três vezes maior de morrerem de doenças cardíacas do que os voluntários que não tiveram ataques, além de um risco de morte por qualquer causa 34% superior a eles.

Diante deste quadro, fica mais visível a necessidade dos exames preventivos para checar a condição cardíaca. Antevendo esta tendência de aumento do número de doenças ‘silenciosas’, a Angio Cor reuniu suas oito especialidades médicas para promover uma análise detalhada da saúde de seus clientes. Com o programa Angio Cor Previne, aliam-se os conhecimentos e avaliações dos médicos das áreas de cardiologia, angiologia, endocrinologia, gastroenterologia, dermatologia, ginecologia, urologia e nutrição para um mapeamento profundo do quadro de saúde do paciente. Ao menor de alteração em alguma destas áreas, todo o sistema de especialidades é colocado à disposição tanto para complementar o diagnóstico como para oferecer soluções de saúde.

continue lendo

Não espere os inimigos silenciosos te surpreender.

Conheça o Programa Angio Cor Previne e use o melhor da medicina a seu favor.

Sopro no coração

5 formas de prevenir o sopro no coração

O sopro no coração ou sopro cardíaco é um ruído produzido quando o sangue passa por um orifício menor do que o esperado ou quando a válvula cardíaca não fecha direito e o sangue acaba voltando através de um furinho. Possui esse nome pois o som emitido imita um sopro no ouvido ou uma fresta aberta na janela. Não é considerado uma patologia, mas pode indicar algum problema no coração.

As causas podem ser normais ou anormais. Os casos normais são comuns em crianças e bebês e acontecem quando o sangue fluí mais rapidamente através do coração. Já os casos anormais surgem para indicar complicações de cardiopatias causadas por febres reumáticas ocorridas na infância. Além do sopro no coração, outros sintomas podem indicar problemas cardíacos como falta de ar, inchaço, falta de apetite, tontura e desmaio.

Para prevenir esse tipo de problema é preciso um estilo de vida mais saudável que pode ser adquirido através de alguns hábitos:

1. Comer alimentos mais saudáveis e evitar frituras e processados

2. Fazer exercícios físicos com regularidade

3. Ter controle da pressão arterial e colesterol

4. Não fumar

5. Ingerir bebidas alcoólicas com moderação

Quando o sopro cardíaco for normal não é necessário fazer nenhum tipo de tratamento. Em casos de sopro anormal, na maioria das vezes é necessário tratamento adequado, que pode variar de acordo com as causas.

continue lendo

Apesar da maioria dos casos de sopros não indicarem nada grave;

É importante fazer check-ups com frequência.

Termos mais usados na cardiologia

Você conhece os termos mais usados na cardiologia?

A medicina é um campo que sempre recebeu atenção especial de toda a sociedade por se tratar de um assunto de suma importância na vida do homem: a saúde.

Na medicina, há várias especializações, mas há um que pode ser considerado um dos mais importantes: a cardiologia.

Cardiologia é a especialidade que se ocupa do diagnóstico e tratamento das doenças que acometem o coração, assim como outros componentes do sistema circulatório.

Atualmente, apesar das doenças cardíacas ainda representarem uma das maiores causas de morte no mundo, a cardiologia é uma das especialidades médicas que apresentam maior evolução, pois possui mais de 100 anos de pesquisas.

Por conta disso, a cardiologia utiliza de termos médicos para determinadas situações.

Aterosclerose é um dos termos para detectar uma condição em que ocorre o acúmulo de placas de gordura, colesterol e outras substâncias nas paredes das artérias, o que restringe o fluxo sanguíneo e pode levar a graves complicações de saúde.

Angioplastia é um termo usado para dizer que as artérias se estreitam ou ficam obstruídas por placas compostas de gordura ou colesterol. Quando acontece isso, o nome muda para Aterosclerose.

No caso, a Angioplastia é um dos procedimentos médicos para abrir artérias coronárias bloqueadas ou estreitadas. Realizando a angioplastia, melhora o fluxo sanguíneo no coração, alivia a dor no peito e previne ataque cardíaco.

Angina é um termo usado para caracterizar dor e diz respeito à dor ou desconforto torácico. Alguns pacientes sentem a angina sempre que atingem certo grau de atividade física, de forma que ela chega, em alguns casos, a ser até previsível. Este tipo de dor torácica é denominado como angina estável.

Em outros casos, quando a dor iniciou há pouco tempo, ou aparece com atividade física de menor intensidade do que antes (até mesmo em repouso), denominamos de angina instável.

Angina de Prinzmetal

Outro termo usado para detectar o espasmo de uma artéria coronariana. Geralmente ocorre quando o paciente está descansando. Arritmias cardíacas são comuns, mas a dor geralmente passa imediatamente com o tratamento.

Isquemia Silenciosa também é um termo usado pelos cardiologistas para pessoas que apresentam a doença arterial coronariana severa e que não apresentam dor anginosa. Alguns médicos atribuem a ausência de dor como um processamento anormal da via dolorosa no cérebro.

A Angina é um dos sintomas da Aterosclerose, que aparece quando o coração não está recebendo sangue ou oxigênio o suficiente.

Stent é um termo usado para identificar pequenas molas ou cilindros ocos de aço inoxidável, trançado e expansível, inserido no local da dilatação por balão, feito pela angioplastia.

Apesar da Aterosclerose liderar de longe a angina, outras condições podem prejudicar a oferta de oxigênio ao músculo cardíaco e provocar dor: espasmo das artérias coronarianas, anormalidades no próprio músculo cardíaco, hipertireoidismo, anemia, vasculite (grupo de doenças que causa inflamação dos vasos sanguíneos) e, em casos raros, exposição a altitudes elevadas.

Entre a angioplastia e a aterosclerose não existe diferença, pois um depende do outro. A Aterosclerose é uma doença séria e dependendo do órgão acometido, pode levar a situações gravíssimas como infarto do miocárdio, isquemia de membros e acidente vascular cerebral (AVC).

Quando o diagnóstico é realizado, o paciente necessitará iniciar o tratamento com medicamentos e mudança no estilo de vida, e alguns casos, a intervenção para desobstruir o fluxo sanguíneo será realizado, chamando-se angioplastia.

continue lendo

Varizes e varicoses

Varizes e varicoses: saiba como prevenir

As varizes e varicoses atingem a maioria da população, principalmente depois de uma certa idade. Porém, para se prevenir destes problemas, basta mudar pequenas atitudes que afetam o seu dia a dia para que as chances deste mal te atingir diminuam.

Todas as vezes que temos que subir, seja uma escada, uma rampa, temos mais dificuldade do que uma superfície plana ou uma descida. A mesma coisa ocorre em nosso corpo com o sangue, pois este tem um longo caminho a ser percorrido do momento que sai dos pés para chegar ao centro, no coração.

É um trabalho pesado, que exige esforços também dos músculos, veias e válvulas para que seja concluído. Quando algum deles deixa de funcionar e perde o pique de fazer o sangue subir, este para e começa a obstruir as veias. E é a partir disso que as varizes aparecem.

Mais que estética

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Centro de Saúde Escola de Botucatu, as varizes e varicoses são bem comuns e atingem aproximadamente 35% da população brasileira. E engana-se quem pensa que que esta é mais uma questão estética.

Se elas não forem tratadas adequadamente, podem evoluir para uma hipertensão venosa crônica e trombose. Há ainda o risco de infeccionar e terminar em úlcera varicosa.

Causas

As mulheres devem ter mais cuidados em relação às varizes, principalmente no período de gestação, período mais propício para seu aparecimento. Isso porque a maior concentração de hormônios estrógeno e progesterona possuem um efeito intitulado vasodilatador. Isso, associado ao aumento do útero, que ganha peso e acaba comprimindo os vasos pélvicos, acabam por dificultar a circulação sanguínea.

Para evitar que isso ocorra, é essencial que o pré-natal seja feito em um local adequado, não ganhar muito peso durante os nove meses e fazer o uso das meias elásticas.

Apesar de surgirem com mais facilidade, as varizes adquiridas durante a gravidez são as únicas que podem desaparecer sem a realização de nenhum procedimento. Com a dilatação, as veias podem voltar ao normal, resultando na ‘cura’ destas varizes.

Queridinho das mulheres, o salto alto deixa o look muito mais elegante, mas uma pesquisa realizada pela Divisão de Cirurgia Vascular e Endovascular do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto mostra que o salto influencia no aparecimento de varizes porque deixa a região do tornozelo imobilizada, o que impede a contração da musculatura da panturrilha e o bombeamento de sangue. Isso ocorre independentemente do tipo de salto. O que pode interferir é a altura.

Quem já tem propensão às varizes deve tomar cuidado com a dobradinha anticoncepcional e tabagismo. Isso porque os hormônios contidos na pílula fazem com que o risco de criação de coágulos de sangue fique maior, o que poderia obstruir as veias.

Junto a isso, as substâncias tóxicas presentes no cigarro são vasodilatadoras. Assim, tenha certeza de que combinação: herança genética + pílula anticoncepcional+ cigarro vai resultar em varizes.

Assim, fique atenta a essas situações e evite a fim de prevenir o aparecimento dessas incômodas varizes.

continue lendo

Problemas no coração

Problemas no coração? Quais os sintomas?

Em um cotidiano tão conturbado, fica cada vez mais difícil prestar a atenção em sinais que nossa saúde está nos dando. É cada vez menor o tempo que dedicamos a cuidar de nós mesmos e garantir que possamos seguir nossa vida sem maiores complicações.

Porém, é preciso estar atento. Muitas vezes, o corpo pode estar nos dando a dica de que algo maior e mais grave está para acontecer e isso pode ser crucial para detectar um problema de coração. Alguns sinais podem ajudar a prevenir um ataque cardíaco, ou indicar uma insuficiência cardíaca, por exemplo.

As pessoas que possuem antecedentes familiares com doenças, possuem mais chances de sofrerem deste mal. Outros fatores, como sobrepeso ou obesidade, fumantes, diabetes, hipertensão, aterosclerose, entre outras podem ser complicadores e deixar problemas de coração mais próximos e prováveis.

Um aneurisma da aorta, por exemplo, pode ser o resultado de pessoas que possuem alguns destes quadros clínicos. E então, neste caso, só uma cirurgia resolve.

Para te auxiliar a identificar estas mensagens transmitidas pelo seu corpo, abaixo listamos alguns sintomas importantes que podem indicar que há algum problema no coração.

Ansiedade

Se você notar que está se sentindo ansioso, com sensações estranhas, fique atento. Um ataque cardíaco pode causar esta ansiedade e medo de morrer, sintomas que aparecem antes de ocorrer.

Desconforto no peito

Sabe aquela sensação estranha, de que algo está para acontecer e uma dorzinha incomoda no peito? Este também pode ser um sinal de que algo está errado com seu sistema cardiológico.

Tosse Persistente

Uma insuficiência cardíaca pode resultar em um acúmulo de líquidos nos pulmões, que provoca esta tosse persistente.

Tontura

As vezes a tontura é tanta que é possível desmaiar quando se está para ter um ataque cardíaco, sofrendo de uma arritmia ou hipotensão.

Fadiga

Ter cansaço excessivo e durante um longo período de tempo pode ser o sintoma de insuficiência cardíaca. Porém, nem sempre indica esta doença, pois indica também outras enfermidades, como depressão ou anemia.

Náusea

Sensação frequente de náusea ou falta de apetite pode, por vezes, estar relacionada com o inchaço abdominal oriundo de retenção de líquidos, que tem possibilidade de estar associada com a dor de infarto.

Dor em diversas partes do seu corpo

Uma dor que começa no peito e avança para, os ombros, braços, cotovelos, costas, pescoço, mandíbula, abdômen, rins e etc, pode ser sinal de que um ataque cardíaco está para acontecer. Procure um médico para se resguardar.

Pulso rápido e irregular

Quando a pulsação está muito acelerada e irregular, deve-se ter atenção. Principalmente se estiver acompanhado de sintomas como fraqueza, tontura ou dificuldade para respirar. Isso é um indicativo de problemas cardíacos, como ataque, arritmia ou insuficiência.

Falta de ar

Se estiver ofegante e com muita falta de ar, busque ajuda e procure um médico, pois há risco de ser ataque cardíaco.

Suor frio e repentino

Calafrio ou o surgimento de um frio repentino pode ser o indicativo de um infarto, hipotensão, hipertensão ou arritmia.

Inchaço

Pernas e pés inchados podem ser sinal de insuficiência cardíaca, pois esta enfermidade pode resultar na retenção de líquidos.

Fraqueza Extrema

Aquela fraqueza extrema, que o deixa sem vontade de fazer nada, é um dos sintomas que antecedem um ataque cardíaco, insuficiência cardíaca ou hipotensão.

continue lendo

Enfim, se você estiver com um ou mais sintomas relatados acima, a melhor opção é buscar um especialista e garantir que não há nada de errado. Lembre-se também de periodicamente visitar o cardiologista para evitar surpresas e manter a saúde.

Saúde cardíaca

10 cuidados simples para a saúde cardíaca

As doenças cardiovasculares estão entre as principais causas de morte no mundo. E isso deve-se principalmente pela obesidade. O número de obesos no mundo aumentou consideravelmente nos últimos anos. O fato dos fasts foods terem se proliferado e popularizado contribui substancialmente para crescimento de tal número.

Apesar desses dados, a quantidade de pessoas que se dedica a um estilo de vida mais saudável também vem aumentando. Hoje, vamos falar sobre 10 cuidados simples para a saúde cardíaca e como conseguir ter uma vida mais saudável de forma simples.

Os benefícios dos exercícios físicos

Para conquistar mais saúde, as pessoas costumam recorrer à prática de exercícios juntamente com uma boa alimentação, o que pode ser considerada a chave para uma vida saudável e uma vida duradoura.

Embora pareçam simples de fazer, algumas pessoas acabam tendo extrema dificuldade em conseguir unir essa dupla (exercício e alimentação), que é o segredo para uma vida com mais saúde. Listamos alguns benefícios dos exercícios físicos para ressaltar a importância deles para se ter uma boa saúde.

Melhor disposição para as atividades simples do dia a dia;

Melhora a imunidade;

Dilata e fortalece os vasos sanguíneos prevenindo doenças como hipertensão;

Alivia o estresse e a ansiedade;

Acelera o metabolismo, o que auxilia na redução de peso.

Cuidando da saúde do seu coração

Que os exercícios físicos são benéficos para o corpo de uma forma geral, interna e externamente falando, não restam dúvidas. Dois dos principais fatores prejudiciais ao coração são a obesidade e hipertensão.

Por isso é tão importante a prática de exercícios físicos rotineiros na prevenção de doenças cardíacas. Pensando nisso, listamos 10 cuidados simples para a saúde cardíaca para mostrar que cuidar do coração pode e deve ser uma tarefa simples e rotineira.

1. Durma bem: a vida corrida atual acaba fazendo com que as pessoa deixem de lado uma boa noite de sono. Comprovadamente dormir mal está relacionado diretamente com a origem de diversos problemas de saúde;

2. Reduza o estresse: considerado o mal do século XXI, o estresse é prejudicial à saúde de diversas formas e pode ser o responsável pela origem ou agravamento de diversos problemas em nosso organismo;

3. Coma menos carne vermelha: esse tipo de alimento possui uma maior quantidade de colesterol, o que é prejudicial ao coração;

4. Diminua a quantidade de açúcar ingerido: o açúcar quando ingerido em quantidades elevadas pode significar o aumento de diversas taxas que podem prejudicar o coração;

5. Vitamina D: manter a vitamina D em boas taxas significa prevenir a hipertensão;

6. Reduza o consumo de sal: a relação do excesso de sal com a hipertensão arterial já é comprovada;

7. Consuma vegetais: as vitaminas contidas nesses alimentos auxiliam na redução da pressão arterial;

8. Vinho: é comprovado que uma taça de vinho por dia tem seus benefícios ao coração, protegendo do envelhecimento, além de reduzir os níveis de colesterol existentes;

9. Evite o consumo de gorduras saturadas: faça trocas inteligentes. Opte por um bom azeite no lugar de um óleo tradicional para cozinhar;

10. Exercite-se: praticar atividades físicas diariamente auxilia numa melhora da resistência física, além de contribuir (e muito) para uma boa saúde do seu coração.

continue lendo

Exercícios físicos e o verão

Verão exige cuidados durante a prática de exercícios físicos

Sol, calor e aquela sensação de moleza em todo o corpo. Não é difícil se identificar com isso durante o verão. Por isso, é preciso tomar alguns cuidados quando os termômetros estão altos, especialmente na prática de exercícios físicos.

O rendimento costuma cair em função de mecanismos do corpo para manter a temperatura. Por isso, é importante seguir algumas dicas para amenizar estes efeitos.

continue lendo

Varizes e as meias de compressão

Meias de compressão podem evitar varizes e reduzir inchaço nas pernas

É bastante comum pessoas chegarem ao final do dia com as pernas marcadas pelas próprias meias, o que pode ser um sinal de inchaço. O problema atinge boa parte da população que desconhece que sofre de falta de retorno venosos, ou seja, a dificuldade de o sangue subir e chegar ao coração.

De acordo com o cirurgião vascular Pedro Puech, há vários motivos para o inchaço nas pernas que vão desde a problemas cardíacos a renais ou ainda obesidade e a maior causa é a dificuldade de bombeamento de sangue na panturrilha.

continue lendo

Coração saudável

Sete hábitos simples para um coração saudável

Conheça medidas fáceis de adotar que podem evitar doenças cardiovasculares

Com apenas sete práticas simples é possível manter um coração saudável. É o que diz a OMS: Organização Mundial de Saúde. Segundo a entidade, adotando esses hábitos é possível evitar doenças cardíacas graves como um AVC (Acidente Vascular Cerebral) ou um infarto.

1. Não fume - As doenças causadas ou agravadas pelo fumo correspondem a 63% das mortes do planeta. O cigarro deve matar em 2011 quase 6 milhões de pessoas em todo o mundo – dessas, 600 mil são fumantes passivos.

Até 2030, serão oito milhões de vítimas. O cigarro começa a destruir o DNA do fumante poucos minutos depois que a fumaça é inalada. Parar de fumar é difícil, mas possível.

2. Pratique exercícios - O exercício físico não deve fazer parte da rotina apenas de quem quer entrar em forma. A atividade é um dos itens mais importantes para fazer o corpo funcionar corretamente.

Os exercícios afastam doenças cardiovasculares, reduzem a necessidade de medicação em quem tem hipertensão, reduzem a enxaqueca, fazem bem ao cérebro e melhoram a performance sexual e a capacidade pulmonar.

3. Faça controle do seu peso - O excesso de peso é prejudicial à saúde. O ideal é manter o índice de massa corpórea (IMC) entre 20 e 25. A obesidade praticamente dobrou no mundo nos últimos 30 anos, afetando 500 milhões de adultos, a maioria mulheres. O excesso de peso predispõe à doenças cardiovasculares, diabetes, hipertensão e colesterol alto.

4. Controle a sua pressão arterial - Cheque sua pressão com frequência. Quando for ao médico, seja de qualquer especialidade, peça para ele medir sua pressão arterial e fique atento se ela está acima de 12 por 8, o valor considerado normal.

Se tiver histórico de hipertensão na família, faça o acompanhamento a partir dos 30 anos e não descuide da quantidade de sal ingerida. A hipertensão arterial aumenta a probabilidade de ter um derrame, infarto, insuficiência cardíaca, doença renal e morte prematura.

No Brasil, 27% das mulheres e 21% dos homens sofrem da doença, segundo o Ministério da Saúde.

5. Faça uma dieta balanceada - Excesso de açúcar, sal ou gordura são os principais vilões de uma alimentação adequada. Uma dieta balanceada inclui porções de frutas, legumes e verduras, além das proteínas advindas das carnes, de preferência, as magras.

6. Controle o colesterol - No Brasil, 40% da população tem colesterol alto e boa parte não sabe que tem a doença. A gordura ruim presente na circulação sanguínea é proveniente da dieta rica em alimentos com gordura saturada e gordura trans, como os embutidos, cortes gordurosos de carne, margarinas, biscoitos recheados, sorvetes entre outros.

7. Controle a glicose - Controlar o índice de glicose é ficar de olho no diabetes. Com esse índice sob a mira, dificilmente a doença pegará você de surpresa.

continue lendo

Exames médicos preventivos e atividades físicas

A importância dos exames médicos preventivos antes de iniciar atividades físicas

Com a chegada do verão, a tendência é de ir literalmente correndo para uma academia ou tirar a bike da garagem e começar uma rotina de exercícios físicos. Afinal de contas, nada como ir com aquela barriga tanquinho para a praia ou piscina.

Mas o que muita gente esquece é da importância de realizar exames preventivos, evitando problemas para essa nova etapa de vida saudável. É preciso salientar ainda que antes de pegar pesado na malhação, começar a correr ou mesmo colocar o filho na escola de futebol, é recomendável consultar especialistas para cada tipo de atividade.

"Cada pessoa tem sua característica e uma necessidade específica, por isso recomenda-se uma avaliação médica e nutricional individualizada”, explica a nutricionista Glaucia Figueiredo.

“Toda pessoa, praticante de atividade física ou não, deve cuidar de sua saúde e alimentação, sempre com orientação de profissionais da área", acrescenta.

Quem também destaca sobre a importância dos exames físicos é o cardiologista Ricardo Mourilhe, vice-presidente da Sociedade de Cardiologia do Rio de Janeiro (SOCERJ). Segundo ele, os exames são fundamentais para identificar doenças valvares cardíacas, hipertensão arterial e doenças pulmonares.

“Se a pessoa vai praticar uma atividade competitiva, além do exame físico, deve também realizar um eletrocardiograma e exames laboratoriais de rotina para identificar anemia, diabetes, doenças tireoidianas etc.", alerta Ricardo.

Além do exames físico ou teste de esforço são recomendados eletrocardiograma, ecocardiograma, ecocardiograma de estresse e perfil lipídico (colesterol e triglicerídeo), glicemia, hemoglobina glicada, ácido úrico e hemograma completo.

continue lendo